domingo, 15 de março de 2009

A Essência das Coisas....

Porque é que não mudamos aquilo que temos de mudar e que está à vista de todos? Por ganância e inveja, ou por comodismo e inércia? Quando é que deixaremos de uma vez por todas a demagogia, a exploração humana e o preconceito? Porque é que não olhamos para as pessoas e as fazemos descobrir que podem ser capazes? Porque é que é que não lhes devolvemos a esperança e as fazemos acreditar? Quando é que teremos uma sociedade justa, próspera e solidária? Quando é que deixaremos de ser cinzentos e vemos as pessoas novamente a sorrir?........I have a dream.....

Entretanto vejo uma sociedade cada vez mais fragmentada, xenófoba, apátrida e despojada dos seus valores mais elementares. As bases estão a ser destruídas, quer ao nível do ensino público, na produção da imbecilidade intelectual, quer na criação de oportunidades irrealistas ou na promoção de falsas expectativas. Estamos a cair no laxismo e na anarquia, onde reina o sentimento de impunidade, de injustiça profunda, que vai promovendo o grito de revolva e catalisando processos de segregação social. O “burburinho” social irá ganhar contornos ímpares e não me surpreenderia se eclodisse uma conflito social apenas com ecos semelhantes numa “Guerra Civil”.

Enquanto não formos ao âmago das questões, dificilmente travaremos esta hecatombe social em que o pais se está a transformar. As pessoas estão cansadas de desonestidade intelectual. Estamos a ser vilipendiados e expurgados diariamente dos nossos valores morais, sociais e materiais. Vemos uma sociedade formatada para não pensar, anestesiada e apática. Ninguém sabe como isto irá acabar, ou quando irá acabar. Mas, uma coisa é certa, nunca mais seremos os mesmos e espera-nos uma sociedade mais pobre, mais patológica, egoísta, que valoriza os bens materiais, que exige gratificação imediata, que quer viver no limite, que rejeita os afectos e a proximidade, para a qual valores como a solidariedade, o altruísmo ou a cidadania possam estar em perigo. Precisamos de um abanão e de acordar de um “coma” que parece cada vez mais profundo......

No outro lado da sociedade vejo com alguma melancolia e acrimónia, as velhas tertúlias e a cumplicidade das conversas e da intimidade, o ombro amigo e o espírito de solidariedade correrem o risco de desaparecerem e de serem substituídos pelo sms, pelo msn e pelas redes sociais. Obtemos comunidades gigantescas de amigos virtuais, porém de relacionamentos inócuos, anónimos e desprovidas de valores emocionais e de “calor humano”. É a sociedade da blogosfera e da nanotecnologia. É o evoluir natural das coisas, perfeitamente compreensível!! Mas se não evoluirmos de forma equilibrada e humana, por certo criaremos relações caóticas sem sentido, onde o ser humano viverá mais só do que nunca. Se calhar contra mim falo, pois também tenho um blog, tenho msn e recorro bastante ás novas tecnologias para comunicar e trabalhar. Mas faço questão de estar regularmente com os meus amigos, nem que seja para um café....

A responsabilidade não está apenas na forma como a humanidade está a evoluir, mas também da forma como todos nós deixamos que as coisas aconteçam. A magia de um sorriso e o conforto do toque humano, jamais será substituído por qualquer “hi5” ou “facebook”. Penso que seja possível coexistirem vários sistemas de comunicação, mas o “perigo” de não sabermos onde começa um e acaba o outro parece ser algo de preocupante.....


Aqueles que não amam a mudança são, verdadeiramente, visitantes da Terra
(Richard Bach)

Sem comentários:

Enviar um comentário