sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

Caminho solitário....

Caminho solitário no nada, colho um punhado de vazio do meu pensamento, desenho gestos ocos nas estrelas....caminho apenas por caminhar num caminho sem sentido.....e no entanto deixo-me caminhar...

quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

A morte...

A morte fica-me tão bem como o preto no vestir que em ti me deslumbra...os teus lábios de vermelho carmim, cobre no cabelo que te escorre, preto nos dedos que titilas, louco no desejo que te digo.....

segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

Sou vento do Mar....

Sou chuva que crepita na tua janela, sou vento do mar que te afaga o rosto e ondula o cabelo, sou noite que te cumprimenta no brilho das estrelas, sou amante nas tuas confidências que no intimo me olhas, sou poeta no calor da noite...

domingo, 19 de dezembro de 2010

Uma nuvem...

Uma nuvem que parte com o teu nome, na boca me sabe a saudade que o mar me trás...és céu infinito, azul escuro frio que transformas em fogo laranja quando em mim tocas, tempo que paraste num abraço que me leste....

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

No tempo....

Sou o que o tempo quis, sou o que o tempo me fez, não estou no tempo, estou sem tempo, para te amar nunca tenho o tempo que o tempo me dá, mas apenas o tempo para te fazer sorrir...

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

O Tempo....

O tempo parou naquele instante em que te senti...o vento trouxe a chuva que por nós esperou que timidamente bateu na janela no compasso que o nosso amor ditava....

sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

terça-feira, 30 de novembro de 2010

Uma flor....

Pouco importa os rios que passaram e os dias que não vivi, se a cada dia nasce uma flor com o teu nome......

domingo, 21 de novembro de 2010

Os teus longos cabelos....

Os teus longos cabelos perfumados esconderam um beijo tímido e apaixonado que os nossos rostos não quiseram mostrar

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Longas noites de chuva

A minha inspiração é o teu respirar nas longas noites de chuva....no teu ouvido eu suspiro versos de amor no silêncio de um abraço

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

O silêncio das minhas palavras....

O silêncio gritante das minhas palavras irrompem nos céus onde apenas tu ouves o mais belo poema de amor que os teus olhos leram

domingo, 31 de outubro de 2010

Em ti...

No teu tímido olhar me perdi, encontrei-me nos teus seios desnudos na suavidade de um beijo, doces palavras não proferidas que só o gesto me disse, paixão que em ti me aprisionou, nos teus lábios o meu amor ficou

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Sou tudo e não sou nada

Sinto no pensamento a força de um gigante e no interior a fragilidade de uma criança, por vezes sou Verão no calor da paixão, por vezes sou Inverno na melancolia do passado, no entanto sou tudo e não sou nada

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

Outono colorido

Folha caída, laranja Outono,bruma pela madrugada, cheiro cipreste, vento de leste que me beija a face, sol tímido que espreita no horizonte, memórias de infância, nostalgia de uma vida

terça-feira, 19 de outubro de 2010

Uma lágrima....

“Uma lágrima que por ti chora sem tu a pedires...ela apenas escorre por escorrer, talvez de saudade, talvez de tristeza ou comoção.....é apenas uma lágrima de amor que por ti sinto....ela aguarda timidamente que a enxugues no teu abraço que por ele se apaixonou”

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

A luz da Esperança......

“Uma lágrima vertida na luz da esperança que a humanidade testemunha no mais belo amanhecer naqueles olhos por quem a vida parecia definhar....renascer de uma vida...glória divina, corações que choram a felicidade de um abraço comovido”

(Homenagem aos mineiros resgatados no Chile)

terça-feira, 12 de outubro de 2010

Lágrima apaixonada......

“Nos teu olhos me perco, nos teus lábios me encontro...no meu coração te acolho com um sorriso de um beijo quente e num eterno abraço unido por uma lágrima apaixonada”

domingo, 10 de outubro de 2010

quinta-feira, 7 de outubro de 2010

Reflexão....

“Rumo ao desconhecido na melodia triste de um violoncelo, que chora a dor do passado num acorde perdido no tempo”

terça-feira, 28 de setembro de 2010

Ao Cair da Folha......

“Ao cair da folha, o vento sopra e o verão finda no pôr do sol ao sabor da maré que parte no meu olhar......ao cair da folha amadureço no tempo e na memória que se esfuma na nostalgia do momento”

terça-feira, 21 de setembro de 2010

Acordar....

“Quero acordar a teu lado e sentir o sol através de ti.....quero acordar ao teu lado e sentir a tua pele etérea numa madrugada de Outono....quero olhar para ti com a saudade de quem desespera....quero ser cúmplice no teu beijar....quero amar-te simplesmente”

quarta-feira, 15 de setembro de 2010

Conheci-te....

“Perco-me no perfume da tua pele e no encanto do teu sorriso, onde na cumplicidade de um abraço me sinto renascer na magia do teu olhar...percorro o teu cabelo num sentimento único onde o tempo parou apenas te contemplar na suavidade de um beijo”

quarta-feira, 8 de setembro de 2010

Sou....

“Sou vento, sou flor, sou perfume que exala melodia para o meu amor.....sou lírio por abrir que pelo teu olhar espera, sou canção de um soneto por acabar...és paixão ardente que incendia o meu coração que por ti se aprisionou.....sou tempo que espera que por ti desespera....sou rio puro e selvagem que banha os teus cabelos que enxugo com o calor do meu abraço”

Paixão Ardente

“Olhar que me encanta no sorriso de um momento, és paixão que assola o meu pensamento, és chama que me incendeia a alma, és insónia de uma noite de verão e fogo que me consome na eternidade de um beijo”

segunda-feira, 23 de agosto de 2010

Ao Cair da Noite....

“Quando o sol se põe e o horizonte se perde, leva-me no cair da noite para junto de ti, onde me esqueço de existir para apenas contemplar incomparável beleza que brilha mais que todas as estrelas”

quarta-feira, 18 de agosto de 2010

Céu Ardente.....

“Vejo o céu ardente, laranja morte, negrume irrespirável de uma hecatombe anunciada, esperança vã e miséria que sorri, país vil sucumbido no descrédito humano”

quarta-feira, 11 de agosto de 2010

Ao Soldado da Paz

“...Inferno de fogo que devasta as entranhas do verde lusitano, coração sofrido que sucumbiu na cinza que o chão derramou no suor vermelho que a vida levou, glória heróica que a ti chamou, onde apenas resta a memória de uma lágrima ao soldado da paz que a mim me lembrou....”

sábado, 31 de julho de 2010

Aprender em vida.....

“Aprendemos com quem vai e não com quem fica....a morte, essa leva-nos tudo, até o orgulho e a falta de humildade para com o próximo...somos o que fazemos...e cá ou noutra vida, pagaremos o que de mal a nossa consciência pensar e a atitude ditar"

quinta-feira, 22 de julho de 2010

Os teus olhos....

“...Os teus olhos que me consolam na alma e mitigam o meu sofrimento, tu companheira dos meus dias, amor eterno e profundo, rima e prosa do meu poema que declamaste para sempre no meu coração...”

terça-feira, 20 de julho de 2010

Sinto que sinto....

“ Sinto que sinto a mágoa do desencanto e da desilusão que na alma me perdura e no coração me fere....sinto o chão a abalar e o céu a desabar, sinto a dor que não mitigaste que por ti moribundo o pobre do coração padeceu”

quinta-feira, 15 de julho de 2010

Apenas parto......

"Parti em ti num abraço singelo por quem feriste por desdém…vingança pura e sem sentido por quem sempre por ti esperou…a mágoa fica sem que te importes por quem sempre odiaste…mataste o encanto do pôr do sol e silenciaste o canto das aves…deixaste morrer a flor que por ti sorria...deste veneno a quem carinho pedia....apenas parto, somente para te ver feliz”

sábado, 3 de julho de 2010

Desencanto....

“... Sou sofrimento e dor indiferente ao teu olhar....sou livro por ler e poema por acabar....sou desdém e desprezo no teu coração....sou insónia e doce amargo que a tua boca me soube....sou alma perdida que por ti a vida daria....sou cravo florido que deixaste padecer...”

domingo, 27 de junho de 2010

O meu Amor deu-me uma Flor.....

"....Naquela noite renasci....dois seres se juntaram e se abraçaram num só.... verti lágrimas comovidas na magia do momento por quem sempre esperei.....não era sonho e naquela noite o meu amor deu-me uma flor que eu guardei com carinho no meu coração....naquela noite eu cuidei da minha flor e abracei-a junto a mim......beijei as suas pétalas e cheirei o seu perfume.....acreditei de novo na esperança e no olhar, acreditei que o sonho pode ser real......olhei para ela e o tempo parou....naquela noite se partisse, partiria feliz porque o meu amor deu-me uma flor...."

quarta-feira, 16 de junho de 2010

Uma Lágrima caída.....

“ ..Uma lágrima caída timidamente do teu rosto que enxugo com o meu abraço por entre palavras não ditas, mas sentidas.....onde no teu olhar carente e frágil, busco o encanto e as palavras secretas para em ti entrar e mitigar esse sofrimento que na tua alma perdura..”

sábado, 29 de maio de 2010

No teu respirar.....

“…Onde o céu e o mar se tocam na calma de um instante onde só tu linda e suave pareces abraçar docemente as nuvens que por ti pararam, apenas para observar tão esplendorosa beleza que o sol ilumina num final de tarde, tão sublime como o perfume que em ti colocas timidamente, para que te possa descobrir no mais íntimo pensamento e beber as confidências que no teu respirar me dizes ao ouvido....”

sábado, 15 de maio de 2010

A Melodia do Adeus....

A minha vida é um acorde imperfeito....uma oitava abaixo do tom....um Dó perdido na pauta do meu lamento.....melodia triste e agridoce que chora a dor de não ser amado...sou uma chama apagada pela indiferença, sou um livro por abrir, sou poesia incompleta, sou uma página virada, sou uma lágrima por enxugar derramada no teu leito por quem esperou em vão para que ouvisses a minha canção....talvez a escutes quanto tiver partido e me digas em pensamento que era a mais bela melodia que havias ouvido.....

quarta-feira, 7 de abril de 2010

Com o tempo......

Com o tempo…
… compreendes que só quem é capaz de te amar com os teus defeitos, sem pretender mudar-te, é que te pode dar toda a felicidade que desejas…

Com o tempo…
… dás-te conta de que os teus amigos verdadeiros são mais importantes do que qualquer valor monetário...

Com o tempo…
… aprendes que as palavras ditas num momento de raiva podem continuar a magoar a quem disseste, durante toda a vida…

Com o tempo…
… dás-te conta de que cada experiência vivida com cada pessoa, é irrepetível…

Com o tempo…
… dás-te conta de que aquele que humilha, mais cedo ou mais tarde, sofrerá as mesmas humilhações e desprezo, só que multiplicados…

Com o tempo…
… aprendes a construir todos os teus caminhos hoje, porque o terreno de amanhã, é demasiado incerto para o fazer plano…

Com o tempo…
… dás-te conta de que na realidade o melhor não era o futuro, mas sim o que estavas a viver naquele momento…

Com o tempo…
… aprenderás a perdoar ou pedir perdão, dizer que amas, dizer que sentes falta, dizer que precisas, dizer que queres ser amigo…

Com o tempo......
… perceberás que junto de um caixão…
… tudo deixa de fazer sentido…
Por isso recorda sempre estas palavras:
“O homem torna-se velho muito rápido e sábio demasiado tarde”
… exactamente quando…
“Já não há tempo”

sábado, 27 de fevereiro de 2010

Lonely Nigths by Scorpions

Since you´re gone....
There is an empty space....
Since you gone....the world is not the same.....
I go back to the places we have been....Seems like you still there.....
I live all those moments again....wishing you were here.......

Since you´re gone.....
There is a lonely heart...
Since your gone...nothing is like it was...
There memories all over the place.....bringing it me back all so clear....
Remember all of those days......wishing you were here.....

All those lonely nights....
Lonely nigths....
Lonely nights.....
Lonely nigths....
Lonely nights...
I get a find, for you, yes I do....

All those lonely nights....
Lonely nigths....
Lonely nights.....
Lonely nigths....
Lonely nights...
I get a find, for you, yes I do....
Yes I do.....

Since you´re gone...there is a heart that bleeds...Since you gone...I´m not the man I use to be...
I follow your steeps on the snow...the traces disappear.....
We know what we lost when it´s gone...wishing you were here....

All those lonely nights....
Lonely nigths....
Lonely nights.....
Lonely nigths....
Lonely nights...
Lonely nights...
I get a find, for you, yes I do....
Yes I do.....

All those lonely nights....
Lonely nigths....
Lonely nights.....
Lonely nigths....
Lonely nights...
I get a find, for you, yes I do....
Yes I do.....

I go back to the places we have been....Seems like you still there.....
I live for those moments again....wishing you were here.......
All those lonely nights....
Lonely nigths....
Lonely nights.....
Lonely nigths....
Lonely nights....
I get a find, for you, yes I do....

All those lonely nights....
Lonely nigths....
Lonely nights.....
Lonely nigths....
Lonely nights....
I get a find, for you, yes I do....


(Clicar na letra para ver o vídeo)


quinta-feira, 11 de fevereiro de 2010

Eu apenas....

Sou um apaixonado pelas coisas simples da vida que passam despercebidas ao comum dos mortais.....gosto da brisa ao anoitecer numa noite de verão à beira mar.....gosto do mar....é ai que vou buscar a minha energia....gosto de escrever poesia....a escrita liberta-me.....a escrita é a minha catarse......gosto da utopia.....gosto de ajudar por ajudar....gosto da sensualidade e da sedução......fascinam-me as pessoas e o seu interior.....encanta-me a beleza feminina e a sua sensibilidade....

....deslumbra-me uma gota de orvalho que escorre na janela pela madrugada....encanta-me um dia de chuva que cai copiosamente ao ritmo do vento que fustiga a janela por onde eu espreito e onde a minha imaginação se perde e o meu pensamento voa....sensibiliza-me o riso de uma criança e um cantar de um rouxinol....comovo-me com um simples acorde musical e com um abraço sincero.......gosto de ser livre como uma ave que voa no seu esplendor ao sabor do vento e rumar sem destino ao infinito....

...acredito no amor e nos sentimentos.....gosto da intimidade e das confidências.....acredito no olhar das pessoas....acredito na esperança e na felicidade dos pequenos nadas.....acredito que ainda haja alguma bondade e altruísmo no outro....

.....abomino a hipocrisia humana e a injustiça.....entristece-me a ausência de valores e o egocentrismo....detesto a falta de transparência e a mentira...temo a solidão e o desprezo....sou aquilo que sou e eu apenas.....sou um turbilhão de emoções que poucos entenderão.......


“O essencial é invisível aos nossos olhos”
Saint – Exupéry, O Principezinho

terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

Igualdade de Género – A Emancipação da Mulher

O papel da mulher e a sua importância na sociedade tem sido de alguma forma subestimado ao longo dos tempos. Desde o aparecimento do homem que as tarefas eram repartidas de modo diferente. Enquanto o homem caçava e lhe eram atribuídas as tarefas mais pesadas do ponto de vista físico, era à mulher que lhe eram confiadas as tarefas mais domésticas por assim dizer, desde actividades mais recolectoras, cuidar dos filhos e da sua alimentação. Do ponto de vista social e educacional a força física e a masculinidade sempre tiveram associados ao sexo dito “forte”, o que garantiu ao homem o domínio e a supremacia desde sempre. Neste âmbito o homem de alguma forma acabou por ser beneficiado ao longo dos tempo em detrimento da capacidade da mulher e do seu papel na sociedade.

Biologicamente, existem diferenças entre o homem e a mulher. A mulher é mais dotada do ponto de vista do raciocínio verbal e da gestão emocional. Está provado que homem é mais resoluto e conotado com situações práticas e visual - espaciais. Durante muito tempo pensou-se que a racionalidade e a cerebralidade do sexo masculino seriam mais vantajosos e superiores face à vertente mais emocional da mulher. Sabe-se hoje que a inteligência emocional é fundamental para equilibrar a razão. Aos homens compete a esfera laboral, profissional e pública. Desta forma são atribuídos ao homem e à mulher papéis impostos pela sociedade, os quais regem comportamentos pré-determinados como sendo característicos de uns e de outros.

Alguns factos históricos marcaram toda uma sociedade e principalmente a mulher que se viu sempre num patamar inferior pelas restrições sociais e jurídicas que a impediam de assumir a sua condição de mulher e usufruir dos mesmos direitos dos homens. Por exemplo, as mulheres só puderam votar a partir de 1968. Apenas puderam viajar sem autorização do marido a partir de 1969.

Em 1914 Adelaide Cabete funda o Concelho Nacional das Mulheres Portuguesas, que é um ramo do Conselho Internacional de Mulheres com representação em vários países. As conquistas de Abril trouxeram mais liberdade de expressão e autonomia para a mulher. Nos meses de Junho, Julho e Setembro de 1974 três diplomas determinam o acesso das mulheres a todos os cargos da carreira administrativa local, à carreira diplomática e à magistratura.

A partir de 1975, o dia 08 de Março, foi consagrado o dia Internacional da Mulher.
Em 2000 22,3% de mulheres estão representadas na carreira diplomática, 38,5% na magistratura judicial e 42,2 % no Ministério Público.

- A partir de 1975 a mulher possui o direito de voto sem qualquer restrição, tendo podido exercer esse direito já nas eleições para a Assembleia Constituinte.
-
- Em 1976 é abolido o direito do marido abrir a correspondência da mulher.

A nova Constituição garante a igualdade de oportunidades de tratamento no trabalho, no emprego (art.º 52) e afirma que na família o homem e a mulher têm os mesmos direitos e deveres quanto à capacidade civil e política e no respeitante à educação dos filhos. É reconhecido o valor social da maternidade, assegurando-se o direito, antes e depois do parto, a uma licença sem perda de remuneração ou de regalias.

Está ainda em curso durante o ano de 2010 um diploma que prevê o limite mínimo de mulheres em cargos de chefias, sendo desta forma mais um contributo para a lei da paridade.

Nascida, 4 de Fevereiro de 1921 em Peoria, de seu nome Betty Naomi Goldstein, era mais conhecida como Betty Friedan e foi uma importante activista feminista do Sec. XX. Tendo participado em vários movimentos marxistas e judaicos, em 1963, foi publicado o livro por ela escrito, “The feminine Mystique”, que deu origem à segunda vaga de feminismo, visto que foi best-seller.

O livro falava do papel da mulher na indústria e na sua função de dona de casa. Foi umas das co-fundadoras da Organização Nacional das Mulheres, nos EUA, com Pauli Murray. Ajudou também na criação de uma organização de fomento aos direitos reprodutivos, onde também se incluiu o aborto. É considerada uma das maiores feministas do Sec. XX.

Apesar destes progressos, as desigualdades existem em diferentes áreas. As mulheres trabalham muitas mais horas e as remunerações para cargos idênticos são menores. Continua a haver muita violência doméstica e continuam a ser prejudicadas na partilha das tarefas domésticas. E principalmente uma mulher que vá procurar emprego com idade entre os 30 anos, a primeira pergunta que lhe fazem é se está com intenções de engravidar.

Por outro lado, a população feminina aumentou na área da educação, no nível de instrução, sendo considerável a sua presença em todos os graus de ensino com bons resultados. Na década de 90 é apreciável a taxa de mulheres com doutoramento obtido, 39,5%, sendo a dos homens de 60,5%. Mas são elas que concluem em maior número os cursos de Ensino Superior, atingindo a taxa de 63,8%. Apesar de tudo, esta superioridade não se tem reflectido em termos práticos ao nível da carreira profissional, havendo mais desemprego na população feminina activa, nem nos salários, que para a mesma função, geralmente a mulher recebe uma remuneração inferior ao dos homens.

Sabemos também que as mulheres são as maiores vítimas da violência doméstica, que sobre elas continua a pesar a grande carga das lides caseiras e dos cuidados com a família, que são vítimas de uma Lei da Interrupção Voluntária da Gravidez (IVG) que não lhes serve, que na sociedade portuguesa as mulheres atingem maior taxa de pobreza (24,9%) em comparação com os homens (21,5%).

Está provado que o papel da mulher é fundamental na sociedade. A prova está na sua capacidade de gestão quer ao nível familiar como mãe quer como profissional, conseguindo de alguma forma equilibrar as suas funções e responsabilidades, superando inclusive o que esperado dela. As provas estão dadas pelos exemplos de sucesso mundialmente conhecidos, desde a política, passando pelas artes até à investigação, não existindo actualmente profissão que não possa ser igualmente desempenhada quer por homens quer por mulheres. Mulheres como Marie Currie, Indira Ghandi, Madre Teresa de Calcutá, Evita Peron, Eunice Munoz, Maria de Lurdes Pintassilgo, Rosa Mota e tantas outras, são prova do talento, da inteligência e da capacidade de fazer que nos marcaram uma geração e que nos servem de referência e exemplo.

A igualdade de género significa aceitar e valorizar de igual modo as diferenças entre homens e mulheres. Significa a construção de uma autêntica parceria, com responsabilidades partilhadas, com o objectivo de eliminar o desequilíbrio entre a vida pública e a privada. Significa pôr ao serviço da sociedade as competências e talentos dos cidadãos e das cidadãs para a resolução dos problemas. Significa sobretudo não discriminar e reconhecer no outro a capacidade de fazer.

O grande desafio do século XXI é sem dúvida o desenvolvimento de uma política integrada da igualdade do género em todos os programas das acções correntes. Isto implica uma reorganização da sociedade em que mulheres e homens, com as suas características específicas de valor equivalente e complementar, vão contribuir para a melhoria da vida de todos. A mulher tal como o homem têm um papel fundamental e complementares para o equilíbrio social em que juntos poderão contribuir para edificar uma sociedade mais forte e saudável. Isto sim, seria viver num verdadeiro estado democrático.


“É MAIS FÁCIL DESINTEGRAR UM ÁTOMO DO QUE UM PRECONCEITO"
Albert Einstein

quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

Haiti...uma lição de vida!!

O mundo literalmente desabou para o povo Haitiano. É irónico como catástrofes desta magnitude atingem quase sempre os mais fracos e indefesos. As imagens e os testemunhos que nos chegam não dão para avaliar a hecatombe que se abateu sobre aquele povo. Tudo lhes falta, para quem já pouco ou nada tinha!

Se tivesse sido noutro ponto qualquer do globo, excepto na África, ou na Ásia, há muito que a ajuda necessária tinha sido disponibilizada. Este flagelo faz parecer o 11 de Setembro um filme de ficção. Não há memória que no espaço de alguns segundos tenha havido tanta destruição e morte!

Não foi o sismo que devastou aquela gente, mas sim a falta de prevenção e a pobreza extrema de um povo marginalizado. A ajuda tem chegado a conta gotas, enquanto isso o povo agonia nas ruas, ferido e moribundo. As pilhagens e a disputa por uma migalha de pão reflectem o agudizar de uma situação que se tornou insustentável.

Este fenómeno já está ganhar contornos propagandistas e aproveitamento político. Exemplo disso é o caos logístico e a desorganização que reina naquela terra em termos de ajuda humanitária. Mas este povo precisa de ajuda é agora, neste momento. Cada, hora, cada minuto que passa pode já ser tarde.

É fulcral a ajuda médica e alimentar. É fundamental tratar daqueles que já pereceram para evitar um problema de saúde pública. Numa 2ª fase, é necessário reconstruir aquele pais e ajudar a recuperar um povo que de um momento para o outro viu-lhes a vida fugir debaixo dos pés. Quem teve a sorte de sobreviver, foi confrontado com a perda de familiares e dos seus bens. Houve quem perdesse tudo literalmente. Neste momento, até uma palavra de conforto, poderá fazer toda a diferença.

Existem múltiplas formas de podermos contribuir para minorar o sofrimento daquele povo. Desde donativos, voluntariado, petições, enfim, de alguma forma é possível contribuir para ajudar aquela população, cuja realidade é o vazio e o desespero. Simplesmente não ficarmos indiferentes a esta situação, já é importante e útil. É preciso não esquecer que muito há a fazer, para além das necessidades básicas e urgentes, é preciso devolver a auto estima, a confiança e a vontade de começar do zero. É preciso ajudar sobretudo este povo a redescobrir o sentido da vida e acreditar que é possível reencontrar a felicidade.

"Nas grandes batalhas da vida, o primeiro passo para a vitória é o desejo de vencer.”

Gandhi