quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

Sou um sopro....

Talvez um dia me ouças no nada e me vejas em sonhos, sou um sopro que se esfuma no tempo sem cor nem memória, apenas um beijo que por ti passou...

1 comentário:

  1. Seremos sempre muito mais que sopros, se nos propusermos a deixar cor e memória na voz que pretendermos fazer ouvir

    ResponderEliminar