terça-feira, 9 de agosto de 2011

...uma aguarela sem nome...

Pinto-te de uma aguarela sem nome, de uma cor sem sabor, mas que a saudade me sabe, nos teus beijos aveludados os meus lábios se descansam, amar-te é pouco quando te percorro nos dedos tímidos como os salpicos de mar que me beijam o olhar, és tu amor na tela, pena seres aguarela....

José Guerra (2011)

Sem comentários:

Enviar um comentário