quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Sol pardacento...

Sol pardacento, que te espreitas incerto
Olhar funesto, sem se dizer
Escondido, encoberto
Por não se querer nascer

José Guerra (2011)

quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Retalhos da vida de um poeta....

Retalhos da vida de um poeta
Que das folhas se esvaíram letras
Que de amores se perdeu
Nos poemas que te leu

José Guerra (2011)

domingo, 25 de setembro de 2011

Suaves beijos intensos...

Suaves beijos intensos
Da tua boca me saem
Leves como o vento
Que das nuvens se vão
De amor nas flores bordado
Na lágrima te sinto salgada
Que do mar te trouxeste
A sede me bebeste

José Guerra (2011)

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Na tua boca de cetim...

Deixa-me fazer-te um verso em alecrim
na tua boca de cetim,
deixa-me fazê-lo só para ti,
ainda que me esqueça de mim....

José Guerra (2011)

segunda-feira, 19 de setembro de 2011

O sol deixa-se cair....

O sol deixa-se cair no horizonte
espreita do seu beiral
enquanto se desenha longínquo nos telhados
pintando silhuetas no olhar 
com que se despede beijando a noite
sem nunca a ter visto...

José Guerra (2011)

sexta-feira, 16 de setembro de 2011

Se a noite falasse...

Se a noite falasse, carpia de dor as lágrimas choradas pelas estrelas que banham o meu rosto por me imaginar não te ter...

José Guerra (2011)

terça-feira, 13 de setembro de 2011

Se me disseres...

Se me disseres que a noite partiu, sem que o coração te doa, diz-me apenas que não conheces a palavra amor que um dia te fez mulher...

José Guerra (2011)

quinta-feira, 8 de setembro de 2011

terça-feira, 6 de setembro de 2011

...sede da tua boca...

Por campos semeados de sede da tua boca me sacio, lavro-te em prosa desnudo, na semente te planto, ventre se deu tréguas, em espasmos me devoras, num abraço me ficas, beijo-te em silêncio apenas...

José Guerra (2011)

sábado, 3 de setembro de 2011

Por ai...

Quero ir por ai tragar o vento, esquecer-me de mim, ser terra e mar e não gente, porque se sente, quando gente de nós se parte assim, de repente...

José Guerra (2011)

quinta-feira, 1 de setembro de 2011