sexta-feira, 4 de novembro de 2011

Não durmo...

Não durmo
Porque do sono se fez prosa
Das letras ecoam silêncios que falam
Que o cheiro da chuva levou
Não durmo
Porque penso que voltas
Sem voltares me acordas
Insano fico
Não durmo



José Guerra (2011)

2 comentários: