quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Palavras que se adormecem...

Palavras que se adormecem
Em boca calada
Beijada
Inebriada
Amada
Silenciada em suspiros de lava
De tão quente por ser amada

José Guerra (2011)

6 comentários:

  1. Olá José Guerra,

    Estava a consultar outro blog e vim parar ao seu.
    Gosto do design do seu blog: lilás e preto.
    Li os seus poemas e sabe o que diz, sabe escrever, quero eu dizer.
    Aliás, outra coisa não seria de esperar, sendo Psicólogo.
    E depois conhece a alma, que é algo fascinante.
    Este poema é bem lava, é vulcânico, posso afirmar. Gosto dos adjectivos, que escreve nele. Enriquecem-no.

    Bom fim de semana.
    Abraços.

    afectosecumplicidades.blogspot.com

    ResponderEliminar
  2. Olá cara amiga!

    Mt me lisonjeia as suas palavras, sendo reconfortantes e motivadoras! É apenas alma que fala aquilo que o coração sente!

    Um abraço poético!

    José

    ResponderEliminar
  3. Olá José,

    Agradeço as suas palavras, em forma de comentário, deixadas no meu blog.
    "Amor com amor se paga", não é assim, que dizem?
    Então já me tornei seguidora das suas palavras.

    Abraços de luz.

    ResponderEliminar
  4. Olá Maria,

    Mt obg pelo carinho!

    Um bj!

    José

    ResponderEliminar