quinta-feira, 20 de dezembro de 2012

Para além dos locais habituais de venda, quer no Sítio do Livro, quer na Livraria Leya na Barata, poderá encomendar qualquer destas obras em qualquer livraria em território nacional. (Amor Proibido); (A Paixão que Veio do Frio); (Pura Inspiração); (Palavras por Dizer) e (Pensamentos). As sinopses destas obras estão www.sitiodolivro.pt
Para os livros "Amor Proibido" e "Paixão que Veio do Frio" poderá entrar em contacto com o autor podendo obter estas obras autografadas, sujeitas ao stock existente. Oferta dos portes de envio apenas para estas obras.

Contacto para mais informações:
jmbguerra@gmail.com ou através do correio interno do FB

Boas festas e boas leituras!


sexta-feira, 14 de dezembro de 2012

Uma prenda personalizada...




Para além dos locais habituais de venda, quer no Sítio do Livro, quer na Livraria Leya na Barata, poderá encomendar directamente este livro junto do autor, podendo adquirir esta obra autografada.

Oferta dos portes de envio.
Campanha válid
a até dia 24/12/2012

Contacto para mais informações:
jmbguerra@gmail.com ou através do correio interno do FB

Boas festas e boas leituras!

quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

Ofereça neste Natal...


Excerto do meu último romance, "Amor Proibido". Um romance surpreendente que conta a história de uma pessoa que estava à frente do seu tempo e que fez história.

Surpreenda neste Natal e ofereça este livro autografado pelo autor. Para mais informações, contacte-me através do correio interno do face ou no email (jmbguerra@gmail.com).

Envio por correio para qualquer parte do mundo. Oferta dos portes de envio. Campanha válida até 24/12/2012 e sujeita ao stock existente.

Um abraço literário!

Boas festas!

José Guerra

sábado, 1 de dezembro de 2012

"Amor Proibido"

Um amor impensável que a sociedade lhe chamou "proibido"....foi assim, o lançamento de mais uma obra da minha autoria no passado dia 25 de Novembro, foto gentilmente cedida pela Livraria Leya na Barata, onde esta obra se encontra disponível. Este livro poderá também ser encomendado em qualquer livraria, ou através do Sitio do Livro, ou em alternativa contactando o autor no email jmbguerra@gmail.com

 

sexta-feira, 30 de novembro de 2012

segunda-feira, 19 de novembro de 2012

Lançamento...

É já no próximo Domingo, dia 25, pelas 17h00 na Livraria Leya na Barata, 11-A, Av. de Roma em Lisboa….conto com a vossa presença…

 

 Um abraço literário!

José Guerra

domingo, 4 de novembro de 2012

José Manuel Boinho Guerra, nasceu em Lisboa em 1969, é licenciado em Psicologia. Possui um Micro MBA em Gestão Empresarial e especialização em Consultoria PME.

Na década de 90 foi oficial do exército português onde esteve ligado à formação/instrução e comando de sub-unidades militares. De 2000 a 2010 foi Consultor e Formador em Desenvolvimento Organizacional. Actualmente é Formador em ambiente eLearning nas áreas comportamentais, sendo também Poeta e Escritor.

Através do Sitio do Livro, já lançou 3 obras de poesia e prosa poética “Pensamentos” (2010); “Pura Inspiração” (2011); “Palavras Por Dizer” (2012) e uma 4ª obra, um romance, “A Paixão que Veio do Frio” (2011). Vai lançar em breve, no dia 25 de Novembro de 2012, pelas 17h00, na Livraria Leya na Barata em Lisboa, a sua 5ª obra (2º Romance), que se intitula “Amor Proibido”. Esta obra já se encontra à venda.

(Clique AQUI para ver as obras lançadas)

Um abraço literário!

José Guerra

Chover na tua pele...


quarta-feira, 31 de outubro de 2012

"Amor Proibido", já disponível !!


Caros amigos e leitores, informo que já se encontra à venda na Livraria Leya na Barata (Av. Roma, 11 em Lx) e através do Sitio do Livro, por encomenda online, o meu novo romance, “Amor Proibido”. 

  O lançamento desta minha obra e respectiva sessão de autógrafos, vão ter lugar na Livraria Leya na Barata, em Lisboa, no dia 25 de Novembro, pelas 17h00.
Conto com a vossa presença!
Obrigado pelo apoio!
Um abraço literário!

Até já!
José Guerra

quarta-feira, 24 de outubro de 2012

É no silêncio...



É no silêncio
que ouço o bater das asas

De um sonho insano
É no silêncio que se pintam
águas de fresco numa janela de mar
em tons de verão, floridas de primavera
cinzeladas de inverno, douradas de outono
cravadas na memória, de risos escondidos
nos amores vividos

É no silêncio, que adormeço
morrem as sombras do passado
morre a palavra, morre a inquietude
conheço-me, num gesto que se olha
onde me abandono, encontrando-me

Sou de mim um eco, um instante
reflectido nas gentes sem rosto
que no meu desgosto se apagaram
naquela manhã, feita de tarde
que cheirava a crepúsculo
como de um poema se findasse
e o meu coração se calasse

José Guerra (2012)

segunda-feira, 15 de outubro de 2012

"O caminho faz-se caminhando"

“O caminho faz-se caminhando”. Faz-se caminhando, porque não há caminho, porque este só se faz ao caminhar, palavras sábias de António Machado, poeta Espanhol.

A minha caminhada, ainda que curta num trajecto de apenas

3 anos, já conta com 4 obras lançadas de que me orgulho. Livros de Poesia e Prosa poética: “Pensamentos” (2010); “Pura Inspiração” (2011); “Palavras por Dizer” (2012) e um Romance “A Paixão que Veio do Frio” (2012). Em breve um novo romance. Um corolário de inspiração e investigação histórica.

Tem sido um caminho tortuoso, calcorreado na tormenta, por ventos e marés que teimam em virar a nau. Mas tem valido a pena, porque se amam as letras. Se assim não fosse, os corações não eram tocados, nem os sorrisos cantados, porque de alento vive a alma como se fosse alimento. Os poemas não floriam, nem o amor era pintado nos livros, como se de uma pauta se tratasse. O que tenho aqui dentro, ainda não tem nome, é mais antigo que a minha alma e maior que a minha existência. Apenas sigo o que universo me trilhou.

"Se escrevo o que sinto é porque assim diminuo a febre de sentir. O que confesso não tem importância, pois nada tem importância. Faço paisagens com o que sinto."

Fernando Pessoa

terça-feira, 2 de outubro de 2012

Já em Novembro...

Para quem gostou de "A Paixão que Veio do Frio", irá ter em breve a oportunidade de viajar no tempo e sentir nas palavras o que alguém sentiu, se é que se pode sentir na pele algo tão intenso e impensável naqueles tempos....Novembro é o mês
em que será desvendado o meu novo romance, assim como o respectivo lançamento! Uma obra que marca uma clivagem...o princípio de um fim, que não se quis....este tema "Run Away" fala um pouco deste meu novo livro...
 
 

domingo, 23 de setembro de 2012

Em breve...


Quase há 1 ano atrás era lançado a "A Paixão que Veio do Frio" numa das livrarias mais emblemáticas de Lisboa, Leya na Barata, na Av. de Roma. Um romance com uma vertente lírica, cuja musicalidade das palavras enaltece as emoções e toca os sentimentos de quem o lê. Uma obra que já cruzou o Atlântico.

No próximo mês de Novembro de 2012, neste mesmo espaço, será lançado mais uma obra épica da minha autoria, cujo conteúdo irá homenagear esse nobre sentimento que agita os nossos corações, o Amor. Em breve, mais informações sobre este livro e respectivo lançamento.

Um abraço literário!

José Guerra

domingo, 16 de setembro de 2012

"A Paixão que Veio do Frio"


A Paixão que Veio do Frio na Feira Setecentista em Queluz. O ambiente desta feira vive-se na forma escrita neste romance, todo ele uma história de amor inédita, que Sintra viu nascer.

Uma palavra de agradecimento à Cristina Alcântara pela gentileza em pousar para a foto.


segunda-feira, 10 de setembro de 2012

Locais de Venda

Caros amigos e leitores,

Fica aqui a divulgação das livrarias e dos locais onde pode ser adquirido o meu romance "A Paixão que Veio do Frio". Caso pretenda adquirir a minha obra noutros locais, poderá entrar em contacto com a buk - Distrib
uição no Porto (comercial@bukdistribuicao.com / Tel. 220120144) e proceder à sua encomenda. Em alternativa poderá ainda adquirir a obra através do Sitio do Livro ou contactando o autor (jmbguerra@gmail.com)


Papelaria Monte Burgos - São Mamede de Infesta - Porto

Bichinho das Letras - Albergaria - A - Velha

Cartola das Equações - Anadia

Papelaria e Livraria Papagaio - Espinho

Fernando Avelino Ferreira - S. João da Madeira

Livraria Papelaria Zona Verde - Mondim de Bastos

Livraria e Papelaria Clipneto - Tomar

Livraria Letra + - Lisboa

Papelaria Técnica - Lisboa

Livraria Dharma - Mem - Martins - Sintra

Livraria Ao Pé das Letras - Ericeira



Obrigado e boas leituras !

José Guerra

sexta-feira, 7 de setembro de 2012

Em breve...


Foi aqui que tudo começou...uma história de amor invulgar...um romance arrebatador....está quase pronto....aguardem...

segunda-feira, 3 de setembro de 2012

LIVRO DO MÊS


A Livraria Dharma, em Mem - Martins, elegeu o meu romance "A Paixão que Veio do Frio" como livro do mês. O destaque foi dado no Jornal Cidade Viva, Jornal mensal do Concelho de Sintra, edição nº 92.

Desde já um imenso obrigado e um abraço literário a todos!

José Guerra

terça-feira, 7 de agosto de 2012

O Poema é o meu leito...

O poema é o meu leito
onde me deito estreito
à espera que a noite me leve
nas pálpebras jaz
o que o sono me traz
vagueia o espírito livre
de um corpo cansado
que deixo para trás
sem jamais saber
se algum dia dormirá em paz

José Guerra (2012)

quarta-feira, 1 de agosto de 2012

Feira do Livro da Ericeira 2012

Caros amigos e leitores, o meu romance "A Paixão que Veio do Frio" está agora também disponível na Feira do Livro da Ericeira até final de Agosto de 2012. Estarei neste local, no dia 10 de Agosto (sexta - feira) entre as 21h00 e as 23h00 para autografar esta obra.

Um abraço literário!


José Guerra

segunda-feira, 16 de julho de 2012


"A Paixão que Veio do Frio"
de José Guerra

Este romance, da minha autoria, publicado por intermédio do Sitio do Livro, encontra-se em distribuição livreira em Portugal, pelo que pode ser comprado/encomendado em qualquer livraria.


http://www.sitiodolivro.pt/pt/livro/a-paixao-que-veio-do-frio/9789892026640/

...Uma alma evadida...

Hoje a noite descansou-me no olhar
Adormeceu, porque de uma lágrima
Se fez silêncio e do sonho
uma alma evadida
Nada mais me resta para além de uma vela queimada
Tacteio o vento e ouço as árvores
Despem-se num bailado tocado pela noite
Sinto-te amiúde pelo crepitar das folhas
Mas és pó e utopia, como eu
Nada que me lembre...

José Guerra (2012)

terça-feira, 26 de junho de 2012

Fui passear o vento...

É tarde, já se calou a voz
O pensamento vagueia-me
O silêncio corta-me o respirar
Um de mim saiu por ai
Fui passear o vento
nesta noite de meia lua
Cheira a passado, fico tolhido
Nesta aragem sonolenta
Sinto que as estrelas conversam
De tão alto falam que nem as ouço
Mas posso-lhes tocar
porque são o meu Mar

José Guerra (2012)

segunda-feira, 18 de junho de 2012

Bebi-te num rio...


Bebi-te num rio numa manhã de degelo
Tacteavas a pedra polida
Como se tivesses lábios de desejo
Percorrias as entranhas nos fiordes
Num frenesim sensual
Derretias os prados fumegantes
Mitigavas-me o anseio ardente
Nos teus lábios quentes
Mordias o verde até ser rio
Morrias-me na foz até ser gente

José Guerra (2012)

terça-feira, 12 de junho de 2012

Plantei-te uma flor...

Plantei-te uma flor
com o teu sabor
nesse corpo de harpejo
minha boca
teu desejo
éramos assim feitos
de saliva e beijo
como da primavera
o cerejo

José Guerra (2012)

quarta-feira, 6 de junho de 2012

São vagas perpétuas...

Há muito que o sol partiu
e a noite em mim caiu
pesa-me a alma roxa
como agapantos
sei que me vês do mar
onde eu queria acabar
os meus olhos não têm chão
são vagas perpétuas
que eu queria calar
nesse amor, florido de sal
que um dia te sonhei amar

José Guerra (2012)

domingo, 27 de maio de 2012

Vê o mar que chove...

Vê o mar que chove
imagina montanhas nele
lá longe, bem longe dos olhares indiscretos
dois seres se abraçam
afasta as ondas, meu amor
repara bem
como se amam naquele feno macio
pedes-me um beijo
nessa tua boca calada
sem tu saberes, nem eu
já te o dava

José Guerra (2012)

segunda-feira, 21 de maio de 2012

Bebi-te num rio...


Bebi-te num rio numa manhã de degelo 
Tacteavas a pedra polida
Como se tivesses lábios de desejo
Percorrias as entranhas nos fiordes
Num frenesim sensual
Derretias os prados fumegantes
Mitigavas-me o anseio ardente
Nos teus lábios quentes
Mordias o verde até ser rio
Morrias-me na foz até ser gente

José Guerra (2012)

terça-feira, 1 de maio de 2012

Sessão de Autógrafos

Caros leitores e amigos!

Dia 06 de Maio de 2012 (Domingo), estarei na Feira do Livro de Lisboa, associado ao Sitio do Livro, no pavilhão dos pequenos editores entre as 17h00 e as 18h00 para uma sessão de autógrafos das minhas últimas obras editadas.

Conto com a vossa presença e um obrigado desde já!

Boas leituras!

José Guerra




sábado, 28 de abril de 2012

Gota de chuva...

Sou aquela gota de chuva
Que caiu ali e além
Molhei beirais e telhados
Beijei o vento e a terra
Saciei lábios e mar ao acordar
Do céu, morri numa flor
Que não sabia amar

José Guerra (2012)

sábado, 21 de abril de 2012

No teu acordar...


Sombras de silêncio
Jogo de luzes num bailado
Não dou pelo respirar
Faz-se tarde
Imagino-te num abraço
Naquela praia sem nome
Era de areia o nosso castelo
De sol e mar
Mas é noite e fez-se luar
Queria apenas adormecer
No teu acordar

José Guerra (2012)

quarta-feira, 11 de abril de 2012

És tu a minha boca...

És tu a minha boca
Madrugada de ontem
De um tempo feito instante
Saliva rouca
Aventura louca
Conversas doidas
Olhos que não mentem
Tua pele de seda
Nas mãos que sentem

José Guerra (2012)

quarta-feira, 4 de abril de 2012

O silêncio


O silêncio é uma boca
que repousa
um olhar que se diz
pelo que não se diz
é prosa que se sente
em palavra ausente
é um grito surdo
num beijo mudo
que muda tudo


José Guerra (2012)

terça-feira, 27 de março de 2012

A tua boca...

O meu gosto é a tua boca
alimento-te de mim
numa viagem sem fim
de sal teu mar
tempero d´alma
teus seios
meus devaneios
quente libido
mergulho decidido
respiro-te na pele
assim perdido

José Guerra (2012)

terça-feira, 20 de março de 2012

A poesia serena a alma
é uma viagem sem destino
são asas do meu infinito
é um querer sem dizer
é amor que te faço sem saber

José Guerra (2012)

terça-feira, 13 de março de 2012

Poema da minha autoria "Desejo-te" declamado por Alexandre Jazara no evento brasileiro de poesia "Em toda a boa arte, há poesia"
Portal da Sociedade Mundial dos Poetas 


sexta-feira, 9 de março de 2012

Um sonho em tela pintado...

Fui no teu mar um barco de papel
Um sonho em tela pintado a pastel
Num olhar te fiz prosa
Nas tuas mãos beijei uma rosa
Nas pétalas te escrevi sonhos
Em doces olhos teus
Vi teus beijos molhados
Em lábios meus

José Guerra (2012)

sexta-feira, 2 de março de 2012

Já disponível no site do Sitio do Livro, na livraria Leya na Barata na Av. Roma em Lisboa e, na livraria Poesia Incompleta, a minha mais recente obra de poesia e prosa poética "Palavras por Dizer" 


Clicar aqui


terça-feira, 28 de fevereiro de 2012



És tão bela como o ódio que respiras
linda no escárnio a que sabias
oh! que saudades do que não vivi
nessa tua boca de cetim
no teu corpo só para mim
apenas que te queria amar assim

José Guerra (2012)

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Podia ser uma aguarela pintada de ontem 
num mar que perdeu a cor do céu... 

José Guerra (2012)





Foto Jean Marie Renault Plasticien

sábado, 18 de fevereiro de 2012

Quando a luz gela a noite 
por não querer ser dia 
deixa no vazio 
o caminho do nada 

José Guerra (2012)

Foto (Beautiful Planet Earth)

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

De um poema se faz a noite...

De um poema se faz a noite
Ao perto vejo o silêncio
Que nos teus lábios me lembrou
Queria ser ontem
E pintar memórias de tempo
De beijos teus
Debruados de amor
Em versos meus


José Guerra (2012)

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

Sou do mundo, sou de ninguém...

Respiro a solidão da noite
Sem que do sol a deixe fazer manhã
Grito num prenúncio de uma alvorada
Sou ave despida do passado
Sou do mundo, sou de ninguém


José Guerra (2012)

quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

...beijadas em doce voz...

 

Estes acordes de piano 
são harpas do Olimpo
beijadas em doce voz
que o baixo deixa embalar
em suave melodia
que te flutua no olhar


José Guerra (2012)

quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

..em laranja se desfalece...

Este vermelho
que se morre devagar
em laranja se desfalece em céu frio
em sol se fez adeus
de nuvem toldado
de saudade eu te abraço


José Guerra (2012)

domingo, 8 de janeiro de 2012

Naquela praia...

Naquela praia
Pintada de silêncio
Beijei o mar do teu luar
De prata silêncio
Se fez o nosso calar


José Guerra (2012)