terça-feira, 28 de fevereiro de 2012



És tão bela como o ódio que respiras
linda no escárnio a que sabias
oh! que saudades do que não vivi
nessa tua boca de cetim
no teu corpo só para mim
apenas que te queria amar assim

José Guerra (2012)

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Podia ser uma aguarela pintada de ontem 
num mar que perdeu a cor do céu... 

José Guerra (2012)





Foto Jean Marie Renault Plasticien

sábado, 18 de fevereiro de 2012

Quando a luz gela a noite 
por não querer ser dia 
deixa no vazio 
o caminho do nada 

José Guerra (2012)

Foto (Beautiful Planet Earth)

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

De um poema se faz a noite...

De um poema se faz a noite
Ao perto vejo o silêncio
Que nos teus lábios me lembrou
Queria ser ontem
E pintar memórias de tempo
De beijos teus
Debruados de amor
Em versos meus


José Guerra (2012)

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

Sou do mundo, sou de ninguém...

Respiro a solidão da noite
Sem que do sol a deixe fazer manhã
Grito num prenúncio de uma alvorada
Sou ave despida do passado
Sou do mundo, sou de ninguém


José Guerra (2012)