quarta-feira, 31 de outubro de 2012

"Amor Proibido", já disponível !!


Caros amigos e leitores, informo que já se encontra à venda na Livraria Leya na Barata (Av. Roma, 11 em Lx) e através do Sitio do Livro, por encomenda online, o meu novo romance, “Amor Proibido”. 

  O lançamento desta minha obra e respectiva sessão de autógrafos, vão ter lugar na Livraria Leya na Barata, em Lisboa, no dia 25 de Novembro, pelas 17h00.
Conto com a vossa presença!
Obrigado pelo apoio!
Um abraço literário!

Até já!
José Guerra

quarta-feira, 24 de outubro de 2012

É no silêncio...



É no silêncio
que ouço o bater das asas

De um sonho insano
É no silêncio que se pintam
águas de fresco numa janela de mar
em tons de verão, floridas de primavera
cinzeladas de inverno, douradas de outono
cravadas na memória, de risos escondidos
nos amores vividos

É no silêncio, que adormeço
morrem as sombras do passado
morre a palavra, morre a inquietude
conheço-me, num gesto que se olha
onde me abandono, encontrando-me

Sou de mim um eco, um instante
reflectido nas gentes sem rosto
que no meu desgosto se apagaram
naquela manhã, feita de tarde
que cheirava a crepúsculo
como de um poema se findasse
e o meu coração se calasse

José Guerra (2012)

segunda-feira, 15 de outubro de 2012

"O caminho faz-se caminhando"

“O caminho faz-se caminhando”. Faz-se caminhando, porque não há caminho, porque este só se faz ao caminhar, palavras sábias de António Machado, poeta Espanhol.

A minha caminhada, ainda que curta num trajecto de apenas

3 anos, já conta com 4 obras lançadas de que me orgulho. Livros de Poesia e Prosa poética: “Pensamentos” (2010); “Pura Inspiração” (2011); “Palavras por Dizer” (2012) e um Romance “A Paixão que Veio do Frio” (2012). Em breve um novo romance. Um corolário de inspiração e investigação histórica.

Tem sido um caminho tortuoso, calcorreado na tormenta, por ventos e marés que teimam em virar a nau. Mas tem valido a pena, porque se amam as letras. Se assim não fosse, os corações não eram tocados, nem os sorrisos cantados, porque de alento vive a alma como se fosse alimento. Os poemas não floriam, nem o amor era pintado nos livros, como se de uma pauta se tratasse. O que tenho aqui dentro, ainda não tem nome, é mais antigo que a minha alma e maior que a minha existência. Apenas sigo o que universo me trilhou.

"Se escrevo o que sinto é porque assim diminuo a febre de sentir. O que confesso não tem importância, pois nada tem importância. Faço paisagens com o que sinto."

Fernando Pessoa

terça-feira, 2 de outubro de 2012

Já em Novembro...

Para quem gostou de "A Paixão que Veio do Frio", irá ter em breve a oportunidade de viajar no tempo e sentir nas palavras o que alguém sentiu, se é que se pode sentir na pele algo tão intenso e impensável naqueles tempos....Novembro é o mês
em que será desvendado o meu novo romance, assim como o respectivo lançamento! Uma obra que marca uma clivagem...o princípio de um fim, que não se quis....este tema "Run Away" fala um pouco deste meu novo livro...